PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Niterói (RJ) suspende aplicação da 2ª dose de CoronaVac por falta de vacina

Doses da Coronavac, vacina contra a covid-19 produzida pelo Instituto Butantan, estão em falta para a 2ª dose em Niterói - Marlon Costa/FuturaPress/Estadão Conteúdo
Doses da Coronavac, vacina contra a covid-19 produzida pelo Instituto Butantan, estão em falta para a 2ª dose em Niterói Imagem: Marlon Costa/FuturaPress/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

30/04/2021 12h54

A Prefeitura de Niterói, no Rio de Janeiro, suspendeu hoje a aplicação da 2ª dose de CoronaVac, imunizante contra a covid-19, na população em razão da falta do imunizante. A aplicação da 1ª e 2ª dose da vacina AstraZeneca/Oxford, produzida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), segue normalmente no município.

"Por conta do atraso de repasse de imunizações pelo Ministério da Saúde, a SMS (Secretaria Municipal de Saúde de Niterói) suspendeu a vacinação da segunda dose da CoronaVac nesta sexta-feira, 30", informa um aviso no site da prefeitura.

A assessoria de comunicação da prefeitura de Niterói explicou ao UOL que, segundo a SMS, houve aumento da procura pela segunda dose por pessoas que haviam tomado a primeira dose em outras localidades. "A realização da segunda dose pode ocorrer até 28 dias de intervalo, o que não compromete a eficácia da imunização", ponderou.

A imunização com a primeira dose da AstraZeneca/Oxford segue normal em Niterói para pessoas a partir de 60 anos e profissionais da saúde a partir dos 18 anos. A segunda dose da AstraZeneca/Oxford também segue disponível.

Na segunda-feira (03), a vacinação será "destinada para pessoas com comorbidades", comunicou a prefeitura que acrescentou dizendo que "a Secretaria Municipal de Saúde de Niterói está programando a vacinação contra a Covid-19 de acordo com a quantidade de vacinas repassadas pelo Ministério da Saúde".

O UOL tenta contato Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Mais falta do imunizante

Essa não é a primeira falta de vacina em Niterói. No dia 23 de abril, a prefeitura também anunciou a suspensão da campanha de vacinação da primeira dose no município, enquanto a segunda dose ainda estava disponível à época.

A Prefeitura de Niterói destacou na ocasião que assinou contrato para comprar 800 mil doses da vacina Sputnik V, "quantidade suficiente para imunizar todos os niteroienses que ainda não foram vacinados", segundo o órgão.

A importação e uso dessa vacina, no entanto, foram negados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na última segunda-feira. A agência alegou a "falta de documentação" e possíveis riscos à saúde após encontrarem adenovírus replicante na vacina, ou seja, um vírus com capacidade de se multiplicar no corpo do paciente que receber a imunização.

Coronavírus