PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Secretário aponta 'situação de platô', mas não descarta nova onda de covid

Rodrigo Cruz não descartou a possibilidade de uma terceira onda de covid-19 - Ricardo Botelho/Minfra
Rodrigo Cruz não descartou a possibilidade de uma terceira onda de covid-19 Imagem: Ricardo Botelho/Minfra

Colaboração para o UOL

11/05/2021 09h56

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, disse hoje que o país está em situação de platô da pandemia, com arrefecimento da curva.

"A gente observa isso nos dados de contaminação e de óbitos, mas isso não faz com que a gente relaxe nas medidas preventivas", afirmou em entrevista à CNN.

No entanto, Cruz não descartou a possibilidade de uma terceira onda de covid. "Não podemos afirmar que não terá uma terceira onda. Mas o ministro Queiroga solicitou a todos os técnicos que façam um planejamento caso isso ocorra. Nós monitoramos os principais insumos, já foi solicitado a montagem de um estoque mínimo de medicamentos caso seja necessário", disse o secretário.

Brasil completa uma semana de estabilidade na média

O Brasil registrou ontem 1.018 novas mortes por covid-19, elevando o total para 423.436 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, o país completa uma semana com tendência de estabilidade na média móvel, ainda que com registros diários elevados.

A média móvel de mortes continua acima de dois mil pelo 55º dia consecutivo. Ontem, o índice foi de 2.087 óbitos em média nos últimos sete dias. Os dados são obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, junto às secretarias estaduais de saúde.

Os números costumam ser mais baixos às segundas e dias seguidos de feriados, uma vez que há um represamento de dados nas secretarias de saúde devido à redução das equipes de trabalho nos fins de semana e feriados.

Justamente por causa desse represamento, a média móvel diária é o índice mais adequado para se analisar o comportamento da pandemia, segundo especialistas. A média de sete dias corrige essas flutuações nos números e torna possível observar se a doença está crescendo ou caindo no país e nos estados.

Saúde