PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Vacina em SP: 3 em cada 10 postos não têm 2ª dose da AstraZeneca

Dado Ruvic/Reuters
Imagem: Dado Ruvic/Reuters

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

30/07/2021 16h30

Dos 548 postos de vacinação contra covid-19 ativos no começo da tarde de hoje na cidade de São Paulo, 169 não ofereciam a segunda dose do imunizante AstraZeneca/Oxford —o que representa 30% do total. Os dados foram levantados pelo UOL através do site "De Olho na Fila", da Prefeitura de São Paulo.

Em 115 postos, faltava a segunda dose do imunizante Pfizer, e em 53 locais de vacinação houve indisponibilidade para segunda aplicação de CoronaVac. Vale destacar que em alguns locais faltou mais de um tipo de imunizante ou até mesmo todos.

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde disse que recebeu hoje 268.285 novas doses do imunizante AstraZeneca/Oxford para vacinar a população elegível com a segunda dose.

"Quanto ao abastecimento dos postos de vacinação, tanto para primeira quanto para segunda doses, é feito o remanejamento entre as unidades do município, para garantir a vacinação nos territórios e resolver eventuais desabastecimentos causados pela alta adesão em regiões específicas", diz o texto enviado pela administração municipal.

O imunizante foi o mais aplicado em todo o Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, 48,5% dos brasileiros foram vacinados com AstraZeneca. Outros 37,3% receberam o imunizante CoronaVac.

A Pfizer fica em terceiro lugar com 11,2% e, por último, a Janssen com 3%.

Nova funcionalidade no "filômetro"

O site "De olho na fila", conhecido como "Filômetro", passou a informar hoje a disponibilidade, em cada posto, de cada uma das três vacinas que necessitam de uma segunda aplicação: CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer. O objetivo é evitar que a população se dirija aos locais de vacinação que não estejam aplicando determinado tipo de imunizante.

Os imunizantes disponíveis no Brasil contra o coronavírus dependem, segundo estudos e testes já comprovados, de uma segunda dose para oferecer uma melhor taxa de proteção. Por isso, especialistas ressaltam a importância de completar o ciclo vacinal, com as duas aplicações.

A prefeitura explicou que, na falta do imunizante, o posto de vacinação "mantém lista nominal das pessoas que procuraram a vacina para segunda dose e entra em contato com todos para que a vacinação seja efetivada".

Ontem (29), a cidade ultrapassou as 10 milhões de doses contra covid, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Ao todo foram aplicadas, até 13h de hoje:

  • 4.089.881 doses da CoronaVac, sendo 2.374.500 como primeira dose e 1.715.381, segunda dose;
  • 4.019.491 doses da AstraZeneca/Oxford, 3.301.802 como primeira dose e 717.689, de segunda;
  • 1.582.760 doses da Pfizer, sendo 1.582.760 relacionadas à primeira dose. A segunda aplicação ainda não havia começado no município;
  • 313.540 doses da Janssen, que necessita de dose única.

A cidade conta com 551 postos de vacinação contra covid-19. Hoje, segundo a prefeitura, três locais não funcionaram por uma "questão de logística".

Calendário de vacina na cidade

A capital ainda não divulgou as datas para vacinar pessoas com menos de 28 anos. Nos próximos dias, a Prefeitura busca pessoas do grupo elegível que ainda não tomaram a segunda dose da vacina.

Quem também tem mais de 28 anos pode se dirigir a um dos postos de vacinação. Veja como está o calendário:

  • Sábado: Mutirão de busca ativa para pessoas que precisam tomar segunda dose
  • Segunda: 28 anos
  • Terça e quarta: Repescagem para 28 e 29 anos e primeira e segunda dose para todos os grupos elegíveis

Pelo calendário do governo estadual, pessoas com 25 a 27 anos podem receber a primeira dose a partir do dia 5 de agosto. Já no dia 10, conforme promete o estado, será o início da vacinação para o público de 18 a 24 anos.

A gestão de João Doria (PSDB) sempre ressalta, porém, que o cumprimento do calendário depende do envio das doses previstas pelo Ministério da Saúde.

Coronavírus