PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Sem comprovante de vacina, vereador bolsonarista de BH é barrado no Cristo

Nikolas Ferreira (PRTB), vereador em Belo Horizonte, é barrado no Cristo Redentor - Reprodução/Instagram/@nikolasferreiradm
Nikolas Ferreira (PRTB), vereador em Belo Horizonte, é barrado no Cristo Redentor Imagem: Reprodução/Instagram/@nikolasferreiradm

Do UOL, em São Paulo

25/09/2021 15h16

O vereador bolsonarista de Belo Horizonte Nikolas Ferreira (PRTB) foi impedido de visitar o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, por não apresentar comprovante de vacinação.

Por meio dos stories do Instagram, o vereador se mostrou indignado por ter sido barrado. "Cheguei aqui pra ir no Cristo e tem um comunicado aqui falando que precisa de comprovação de carteira de vacinação pra poder ir ver o Cristo", relatou

"Perguntei ali pra mulher: 'se eu for ali fazer um teste PCR, mostra que não to com corona, posso entrar?', ela: 'não'. Ou seja, eu comprovo que não to com o vírus e nada, mas não posso entrar. Aí você acha que isso diz respeito à proteção? Não, isso diz respeito a controle."

Em um outro vídeo, Ferreira pergunta à funcionária o que acontece com as pessoas que não têm o comprovante, ela responde: "volta pra casa".

Nikolas Ferreira se coloca contra políticas de contenção da doença como uso de máscaras e isolamento social. Ele chegou a protagonizar discussões com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), por causa de tais medidas na cidade.

Uma série de decretos publicados no Diário Oficial do município do Rio de Janeiro em 27 de agosto estabelecem a obrigatoriedade da vacinação para acesso a locais e serviços públicos ou de uso coletivo.

Os decretos se aplicam a academias de ginástica, estádios e ginásios esportivos, cinemas, teatros, museus, galerias e exposições de arte, convenções, conferências, entre outros. A vacina também é exigida para a realização de cirurgias eletivas nas redes pública e privada.

A comprovação pode ser feita pela certificação digital da plataforma ConecteSUS, ou com a apresentação do comprovante em papel.

Coronavírus