PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Doria pede reconsideração sobre máscaras após confirmação da ômicron em SP

Governador João Doria (PSDB), em coletiva no Palácio dos Bandeirantes; liberação da máscara em ambientes abertos estava prevista para próximo dia 11 - Divulgação/Governo do estado de São Paulo
Governador João Doria (PSDB), em coletiva no Palácio dos Bandeirantes; liberação da máscara em ambientes abertos estava prevista para próximo dia 11 Imagem: Divulgação/Governo do estado de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

30/11/2021 19h27

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pediu hoje ao comitê científico do governo uma nova avaliação sobre a liberação do uso de máscaras no estado, após a confirmação de dois casos da nova variante ômicron.

Segundo nota do governo, a reavaliação será feita até a semana que vem. Na última quarta-feira (24), Doria anunciou que as máscaras não seriam mais obrigatórias em locais abertos a partir do dia 11 de dezembro.

"O nosso parâmetro sempre foi o cenário epidemiológico em São Paulo. E, por isso, precisamos saber o impacto da nova variante com a flexibilização do uso de máscaras em espaços abertos. É necessário ter cautela e avaliar esse novo elemento. O nosso compromisso é com a saúde da população", disse o governador.

Mais cedo, a secretaria de Saúde do estado de São Paulo confirmou os primeiros casos da nova variante do coronavírus no Brasil, em um casal que chegou da África do Sul na última semana. Segundo o órgão, os dois apresentaram sintomas leves e foram orientados a permanecer em isolamento em casa.

Anteriormente, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) havia dito que os casos eram preliminares e atestados pelo laboratório Albert Einstein. Mas, segundo a Saúde do Estado de SP, o resultado já foi avaliado e atestado pelo Instituto Adolfo Lutz.

A ômicron já foi detectada em pelo menos 12 países e foi considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como "variante de preocupação". Ainda não se sabe se ela é mais transmissível ou mais letal que as demais mutações do novo coronavírus.

Coronavírus