PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Ômicron: Governo diz precisar de dados antes de ampliar restrições de voos

Anvisa havia recomendado também restringir voos de Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia; Brasil suspendeu viagens de outros seis países - Reprodução
Anvisa havia recomendado também restringir voos de Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia; Brasil suspendeu viagens de outros seis países Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

30/11/2021 21h37

O governo anunciou hoje que precisa de mais esclarecimentos antes de adotar a restrição de viagem recomendada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a mais quatro países, Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia, após a descoberta da nova variante ômicron do coronavírus.

A decisão foi comunicada pela Casa Civil após reunião conjunta com representantes dos ministérios da Saúde, Justiça e Segurança Pública, Infraestrutura, Relações Exteriores e da própria Anvisa.

Segundo a nota do órgão, a Secretaria de Vigilância em Saúde vai continuar monitorando a situação epidemiológica no mundo nos países com casos confirmados da mutação.

No sábado (27), a agência havia recomendado ampliar as restrições. Atualmente, as fronteiras aéreas estão fechadas para seis países: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Mais cedo, foram confirmados os dois primeiros casos da ômicron no Brasil em São Paulo. Trata-se de um casal que chegou da África do Sul na semana passada. Segundo apurou o UOL, eles não constam como vacinados contra covid-19 nos sistemas do Ministério da Saúde ou da secretaria estadual de Saúde paulista.

Segundo informou o órgão de São Paulo, os dois têm sintomas leves e foram orientados a permanecer em isolamento em casa.

Outros possíveis casos da variante também são investigados em Brasília e em Belo Horizonte.

Coronavírus