Eleições presidenciais e legislativas são adiadas no Haiti

Porto Príncipe, 22 dez 2015 (AFP) - As eleições legislativas e presidenciais previstas para o domingo no Haiti foram adiadas, anunciou nesta segunda-feira o Conselho Eleitoral Provisório em um comunicado, sem informar a nova data.

O adiamento foi adotado depois de a oposição ter denunciado, há várias semanas, que no primeiro turno houve fraudes em massa a favor do candidato à presidência Jovenel Moise, representante do partido no poder.

Jude Célestin, adversário de Moise, negou-se a fazer campanha antes da criação de uma comissão independente para investigar estas acusações.

Em resposta aos pedidos da oposição realizados nesta quinta-feira, o presidente Michel Martelly declarou a criação de uma "comissão de avaliação eleitoral".

"Não há nova data ainda estabelecida oficialmente", disse à AFP Roudy Stanley Penn, porta-voz do Conselho Eleitoral, após o anúncio do adiamento da eleição. "Estamos a espera do trabalho da comissão de avaliação eleitoral para ter harmonia com suas recomendações".

Nas eleições de 25 de outubro, Moise obteve 32,76% dos votos e Celestin 25,29%, segundo o Conselho Eleitoral Provisório (CEP).

Moise, que estreou na política aos 47 anos, representa o Partido Haitiano Tet Kale (PHTK), enquanto Celestin (53) é o candidato do partido Lapeh (Liga Ampla pelo Progresso e Emancipação do Haiti) e busca pela segunda vez o poder, depois de que em 2010 sua candidatura foi apoiada pelo então presidente, René Préval.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos