China reestrutura seu exército para torná-lo mais eficaz

Xangai, 2 Jan 2016 (AFP) - A China anunciou neste sábado mudanças na estrutura das suas forças armadas, uma "importante decisão estratégica para realizar o sonho chinês de ter um poderoso exército", segundo o presidente Xi Jinping, citado pela imprensa estatal.

Xi anunciou recentemente seu desejo de tornar mais eficaz o exército chinês, reduzindo em 300.000 seu efetivo, de até dois milhões, e fortalecendo o controle do Partido Comunista sobre os militares.

As mudanças anunciadas neste sábado se referem a três novas unidades, uma responsável por monitorar o arsenal de mísseis estratégicos, um comando geral para o exército e uma unidade de tropas de apoio em combate, de acordo com a agência de notícias oficial Xinhua.

O anúncio ocorre dois dias depois que Pequim anunciou que está construindo seu segundo porta-aviões, em um contexto de inúmeras disputas marítimas com os seus vizinhos pela soberania de várias ilhas no Mar da China.

Segundo um analista chinês, esta reorganização visa reforçar o poder de combate do exército.

"Durante muito tempo, a China não estava interessada no exterior, e a marinha, a aeronáutica e as forças estratégicas eram relativamente fracas em comparação com o exército", explicou à AFP Ni Lexiong, professor da Universidade de Shanghai.

"Para recuperar o atraso e rivalizar com as potências americana e europeias (...) a China deve aumentar o nível de modernização e poder de combate de seu exército", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos