Milícia armada desafia autoridades norte-americanas ocupando parque nacional

Em Burns (Oregon, EUA)

  • Rob Kerr/AFP

    Ammon Bundy (à dir.) é o líder da milícia armada que ocupou um parque no Oregon

    Ammon Bundy (à dir.) é o líder da milícia armada que ocupou um parque no Oregon

Várias centenas de homens armados continuavam desafiando nesta segunda-feira (4) as autoridades norte-americanas ao ocupar pelo terceiro dia consecutivo um parque nacional no estado de Oregon, em protesto pela condenação de dois fazendeiros.

O grupo ocupou o parque Malheur National Wildlife Refuge no sábado (2) em apoio a Dwight Hammond Jr. e seu filho Steven, que receberam ordens para se entregar nas próximas horas numa prisão federal da Califórnia para cumprir uma pena de cinco anos.

Ambos foram condenados por provocar vários incêndios em 2001 e 2006 em terrenos do parque que podiam usar para seu rebanho.

O porta-voz dos milicianos, Ammon Bundy, filho do pecuarista Cliven Bundy, que em 2014 protagonizou um confronto similar com as autoridades em Nevada, garantiu que a família Hammond está há anos sofrendo perseguição das autoridades por se recusar a devolver as terras.

Bundy prometeu que as ações de seu grupo, auto-denominado Cidadãos por uma Liberdade Constitucional (Citizens for Constitutional Freedom), são pacíficas, mas disse estar disposto a manter a ocupação até que as coisas se resolvam.

Além disso, justificou o uso das armas como um dos direitos protegidos pela Constituição norte-americana.

"É importante para nós suportarmos e que as pessoas entendam que nós levamos isso muito a sério", disse em comentários divulgados pela emissora ABC.

Os Hammond, no entanto, se distanciaram do movimento de milícia afirmando publicamente sua decisão de cumprir a lei.

"Dwight e Steven Hammond respeitam a lei. Estão há cinco anos litigando esta questão nos tribunais federais. Como os Hammond disseram, hoje (segunda-feira) se apresentarão ao Bureau of Prisons para cumprir sua sentença", disseram seus advogados em comunicado enviado à AFP.

Pai e filho buscarão o perdão do presidente Barack Obama, a quem enviou um pedido de clemência, de acordo com a nota.

Os Hammond foram condenados em 2012 por provocar vários incêndios, mas recorreram a pena inicial de cinco anos ao alegar que era inconstitucional.

À época, a justiça lhes deu razão e impôs uma pena menor, que ambos cumpriram.

Mas uma corte de apelações negou a decisão e ditou a favor da primeira condenação, obrigando pai e filho a voltarem à prisão.

O xerife Dave Ward disse no domingo que as ações da milícia eram uma provocação às autoridades.

"Estes homens do condado de Harney, que reivindicam sua participação numa milícia que apoia os agricultores locais, tem na verdade motivações completamente diferentes", afirmou.

Os manifestantes são um grupo diverso de agricultores e pecuaristas anti-governo, que não defendem a violência mas não excluem usar armas para defender-se caso a polícia tome o parque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos