Capriles diz que chegou a hora de convocar um referendo revogatório de Maduro

Em Caracas

  • Marco Bello/Reuters

O ex-candidato presidencial da oposição Henrique Capriles disse nesta quinta-feira ter chegado o momento de convocar um referendo revogatório contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ou propor uma emenda constitucional que permita acelerar sua saída do poder.

"Ou aqui há soluções ou os venezuelanos temos que pensar qual será o caminho para a mudança. O tempo constitucional para um referendo revogatório ou uma emenda constitucional chegou", declarou à imprensa o governador do estado de Miranda (norte).

O atual mandato presidencial de Maduro termina em 2019, mas as leis venezuelanas vigentes contemplam a possibilidade de convocar um referendo revogatório quando o governante cumprir a metade do mandato, o que ocorrerá em 19 de abril.

Para convocar um referendo revogatório são necessárias as assinaturas de 20% (3,9 milhões) do colégio eleitoral, coletadas em três dias e com impressões digitais; e para remover Maduro, o apoio de mais de 7,5 milhões que o elegeram em 2013.

Por outro lado, uma reforma da Carta Magna é promovida por acordo de dois terços dos deputados e deve ser aprovada em um referendo convocado 30 dias depois de sua sanção.

Capriles chamou a maioria opositora no Parlamento a "resgatar a institucionalidade" e exigiu ao Tribunal Supremo de Justiça que "responda ao país e não ao partido do governo".

Além disso, o dirigente assegurou que a solução para a crise "não é um levante militar" pois "o único desenlace deve ser constitucional, pacífico e democrático".

No entanto, advertiu que o governo "está usando uma explosão social" para "se oxigenar".

Capriles, que encabeça a corrente moderada da opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), tinha manifestado até agora que a oposição devia se ocupar prioritariamente em promover medidas que resolvam a crise econômica, ao invés de abreviar o governo de Maduro.

Com maioria no Parlamento pela primeira vez em 17 anos de governo chavista, a oposição conta com 109 deputados contra os 54 da situação chavista e pretende, com isto, buscar uma via legal para conseguir a saída antecipada de Maduro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos