Estado Islâmico reivindica atentado perto de mesquita xiita na Síria

Beirute, 31 Jan 2016 (AFP) - O grupo Estado Islâmico reivindicou o atentado perto de um templo xiita ao sul de Damasco que, neste domingo, matou ao menos 45 pessoas e deixou 110 feridos.

Em um comunicado divulgado nas redes sociais, o grupo jihadista diz que dois de seus membros se explodiram perto do santuário de Sayyida Zeinab.

"Dois soldados do califado se martirizaram em uma guarida de infiéis na zona de Sayyida Zeinab, matando ao menos 50 e ferindo 120", afirma o grupo radical sunital

As 45 pessoas morreram e 110 ficaram feridas em três explosões perto do santuário xiita de Sayeda Zeinab, ao sul de Damasco.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) o balanço pode ainda aumentar em razão do grande número de feridos em estado grave.

"Duas explosões de origem terrorista, de um carro-bomba seguida pela de um homem-bomba (...) na zona de Sayeda Zeinab", anunciou, por sua vez, a televisão estatal síria, referindo-se a "informações relativas a mortos e feridos", sem dar mais detalhes.

A mesquita de Sayeda Zeinab abriga o mausoléu de uma das netas do profeta Maomé. Muitos peregrinos xiitas do Irã, Iraque, do Golfo e do Líbano visitam o local diariamente.

Em fevereiro de 2015, a mesquita já havia sido alvo de um ataque suicida que matou quatro pessoas e feriu 13 em um posto de controle perto do santuário.

No mesmo mês, uma explosão teve como alvo um ônibus de peregrinos xiitas libaneses que visitavam o local, matando pelo menos nove pessoas em um ataque reivindicado pela Frente Al-Nosra, o ramo sírio da Al-Qaeda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos