Capitão da Marinha norte-americana é condenado a quatro anos de prisão por corrupção

Em Los Angeles

  • Eduardo Martino/AFP

Um alto funcionário da Marinha americana foi sentenciado nessa sexta-feira a 46 meses de prisão por aceitar dinheiro, viagens e o serviço de prostitutas em troca de fornecer informação confidencial a um contratista estrangeiro.

O capitão Daniel Dusek, que também foi obrigado a pagar 70.000 dólares de multa e 30.000 dólares ao Exército, se transformou assim no primeiro oficial de maio escalão a ser condenado no escândalo de corrupção que estourou em 2010.

Dusek, de 49 anos, se declarou culpado em janeiro do ano passado por conspirar nessa trama corrupta em que dezenas de oficiais estão envolvidos e que foi orquestrada pelo empresário malásio Leonard Francis.

O homem também se declarou culpado no ano passado, depois de ter pago comidas, viagens e presentes a membros da Marinha para que os navios americanos abastecessem nos portos do Pacífico, administrados por sua companhia Glenn Defense Marine Asia (GDMA).

Empresário devolverá US$ 35 milhões

Dusek providenciou que o "USS Abraham Lincoln" abastecesse no porto malásio de Klang controlado por Francis, em uma operação que custou ao governo americano US$ 1,6 milhão.

O empresário, que pode enfrentar até 25 anos de prisão, também reconheceu que ganhou milhões de dólares às custas do Exército americano superfaturando as contas.

Francis aceitou devolver US$ 35 milhões obtidos com esse esquema e pagar ao Exército o valor decidido pelo tribunal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos