Novas acusações de abusos sexuais contra capacetes azuis na R. Centro-africana

Nova York, 28 Mar 2016 (AFP) - A ONU informou nessa segunda-feira sobre as novas acusações de abusos sexuais envolvendo seus capacetes azuis na República Centro-africana, uma que afeta o contingente burundinês e a outra a um soldado marroquino.

Esses casos se somam aos informados na última sexta-feira pela Missão da ONU na República Centro-africana (Minusca).

As acusações de abusos sexuais e de exploração sexual reunidas pelas Nações Unidas na República Centro-africana desde o início do ano chegam a 25 no total, informou o porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric.

Outros seis supostos casos foram apontados nesse ano em outras missões de manutenção da paz da ONU, acrescentou.

A primeira acusação revelada nessa segunda-feira diz respeito a "membros do contingente militar burundinês" da Minusca, acusados de ter estuprado um menor de 14 anos.

O soldado marroquino, não identificado, é acusado de ter explorado sexualmente uma mulher adulta em fevereiro em Bangassou (sul).

Diante da multiplicação desse tipo de escândalos entre os capacetes azuis, sobretudo na República Centro-africana, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se comprometeu a repatriar todo o contingente em caso de acusações persistentes, e o Conselho de Segurança aprovou em 11 de março uma resolução nesse sentido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos