PMDB deixa oficialmente o governo da presidente Dilma

Brasília, 29 Mar 2016 (AFP) - O PMDB votou nesta terça-feira por aclamação sua saída do governo de coalizão da presidente Dilma Rousseff.

A direção nacional do partido do vice-presidente Michel Temer decidiu por sua saída imediata do governo, apelando seus ministros a renunciar.

"A partir de hoje, nesta reunião histórica do PMDB, o PMDB se retira da base do governo da presidente Dilma Rousseff e ninguém no país está autorizado a exercer qualquer cargo federal em nome do PMDB", proclamou o senador e vice-presidente do partido, Romero Jucá, que presidiu a reunião no Congresso, em meio a aplausos e gritos de "Brasil presente, Temer presidente!".

O PMDB também decidiu que seus seis ministros deverão entregar os cargos, uma medida que gera resistência por parte de alguns dos envolvidos.

A decisão "requer a saída imediata do governo e a entrega de todos os cargos", exigiu Jucá.

A saída do PMDB, maior bancada no Congresso, enfraquece ainda mais a presidente Dilma, que enfrenta um processo de impeachment.

Na segunda-feira à noite, o ministro do Turismo, Henrique Alves, anunciou sua renúncia.

A reunião do PMDB poucos minutos nesta terça, o tempo de anunciar e aprovar por aclamação a proposta de deixar o governo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos