Aliados do presidente Rohani obtém ampla vitória nas legislativas iranianas

Teerã, 30 Abr 2016 (AFP) - A coalizão reformista que apoia o presidente presidente iraniano Hasan Rohani obteve uma ampla vitória ante os conservadores na segunda rodada das eleições legislativas de sexta-feira, segundo resultados oficiais divulgados neste sábado pelo ministério do Interior.

Os reformistas e moderados da lista "Esperança" obtiveram 38 cadeiras contra 18 dos conservadores e 12 para os independentes em um total de 68 que estavam em jogo.

Desta maneira, formarão o grupo mais importante do parlamento, que conta com 290 deputados, apesar de ainda sem alcançar a maioria.

Os conservadores, ou próximos, e os independentes ficaram, respectivamente, com 125 e 26 deputados.

Mas é a primeira vez, desde 2004, que a assembleia deixa de sesr dominada pelos conservadores.

As duas grandes tendências da política iraniana, reformistas e conservadores, passam assim a ser representadas de forma quase igua no parlamento.

Na véspera, 17 milhões de eleitores foram convocados às urnas, contra os 55 milhões do primeiro turno, para eleger 68 do total de 290 deputados.

Após a derrota dos ultraconservadores no primeiro turno, os resultados apontavam para a formação de um Parlamento composto na maioria por deputados reformistas e moderados pró-Rohani, assim como por conservadores moderados e pragmáticos mais conciliadores com as políticas do presidente.

Dos 221 assentos atribuídos no primeiro turno, 103 foram para conservadores ou afins, 95 para reformistas ou moderados e 14 para independentes com orientação política indefinida, segundo levantamento da AFP.

Ainda no primeiro turno, os 30 assentos de Teerã, em outra época ocupados pelos conservadores, foram conquistados por reformistas e moderados que apoiam a política do presidente Rohani.

Entre os deputados eleitos no primeiro turno, também havia quatro conservadores moderados apoiados pelos reformistas, assim como cinco representantes de minorias religiosas sem uma afiliação política clara.

As eleições são realizadas um ano antes das presidenciais de 2017, nas quais se acredita que Rohani vá se candidatar a um segundo mandato.

Desde 2013, Rohani assumiu pessoalmente a aposta de estabelecer pontes com a comunidade internacional. Esta aposta resultou na entrada em vigor há três do acordo entre as grandes potências e o Irã sobre seu programa nuclear e da suspensão, em grande parte, das sanções internacionais contra Teerã.

Agora é preciso esperar para conhecer a posição dos deputados independentes para saber se os aliados do presidente Rohani obterão a maioria dos 146 deputados no parlamento.

Mas, mesmo que não alcancem, os reformistas e moderados poderão contar com os conservadores prágmaticos mais conciliadores, pois os mais radicais entre eles, opostos à política de abertura do presidente, já foram eliminados no primeiro turno.

- Recorde de mulheres -Quatro mulheres foram eleitas no segundo turno e se somam às 13 do primeiro turno. A nova assembleia contará, portanto, com 17 mulheres, em comparação com as 9 da anterior, na qual os conservadores tinham mais de 200 cadeiras.

É a primeira vez desde a revolução islâmica de 1979 que o parlamento conta com tantas deputadas.

A nova assembleia se reunirá no final de maio para eleger seu chefe.

O atual presidente, Ali Larijani, um conservador moderado, e o chefe dos reformistas e moderados, Mohammad Reza Aref, provavelmente competirão pelo cargo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos