Israel e Turquia chegam a acordo para normalizar relações bilaterais

Jerusalém, 26 Jun 2016 (AFP) - Israel e Turquia chegaram a um acordo neste domingo para normalizar suas relações depois de seis anos de desavenças devido a um ataque israelense contra um barco turco que levava ajuda humanitária a Gaza, informou uma autoridade israelense.

Israel se comprometeu a contribuir com 20 milhões de dólares (18 milhões de euros) a um fundo de indenização para as famílias dos 10 turcos mortos em um ataque contra o barco "Mavi Marmara" em 2010. Em troca, a Turquia abandonará as ações judiciais contra os militares israelenses, informou à AFP um funcionário do governo turco que pediu anonimato.

Segundo a fonte, o acordo prevê o retorno dos embaixadores a Ancara e Tel Aviv.

Todos os detalhes serão informados em uma coletiva de imprensa em Roma na segunda-feira ao meio dia (10H00 GMT, 07H00 horário de Brasília).

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu se encontra na capital italiana, onde se reunirá com o secretário de Estado norte-americano John Kerry.

Uma fonte do governo turco confirmou que o primeiro-ministro turco Binali Yildirim se pronunciará na segunda-feira sobre o acordo, às 13h00 em Ancara (10H00 GMT, 07H00 horário de Brasília).

O acordo deverá ser ratificado pelo gabinete de segurança israelense na quarta-feira, segundo uma autoridade do país.

As relações entre Turquia e Israel foram abaladas em 2010 com a retirada de embaixadores e o congelamento da cooperação militar, após o ataque de forças israelenses contra o buque "Mavi Marmara", fretado por uma ONG humanitária turca para tentar romper o bloqueio imposto por Israel à Faixa de Gaza. Dez turcos morreram na operação.

A embarcação fazia parte de uma flotilha internacional de seis barcos carregados com ajuda humanitária.

- Interesse dos dois países -Os Estados Unidos haviam pressionado os dois países a firmar um acordo para reforçara a luta contra o grupo Estado Islâmico (EI).

A Turquia foi uma aliada regional importante de Israel até os anos 2000.

Israel apresentou suas desculpas em 2013, mas as tensões voltaram no ano seguinte com uma nova ofensiva israelense na Faixa de Gaza.

A Turquia estabeleceu três condições para a normalização: que Israel se desculpasse publicamente pela tomada do barco, que concedesse indenizações financeiras às vítimas e que suspendesse o bloqueio de Gaza, zona governada pelo movimento islamita Hamas.

Segundo a imprensa israelense, a Turquia teria se comprometido a impedir que o Hamas, no poder em Gaza, execute atividades anti-israelenses de seu território.

Netanyahu foi pressionado em Israel a não assinar o acordo antes que o Hamas se comprometesse a devolver os corpos de dois soldados israelenses mortos em Gaza em 2014 e a liberar os dois israelenses supostamente vivos que estariam nas mãos do movimento islamita.

Nas últimas semanas, os dois ex-aliados regionais se aproximaram.

Israel reforçou suas relações com a Otan ao abrir uma representação permanente na sede da organização em Bruxelas em maio, graças a uma decisão turca de não se opor mais a ela.

Erdogan declarou recentemente que os palestinos, Israel e a Turquia têm muito a ganhar com esse processo de normalização.

bur-mjs-mib/cmk/eg/ra/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos