Camponeses assassinados na Venezuela foram 'desmembrados'

Caracas, 30 Nov 2016 (AFP) - Vários dos 12 camponeses assassinados por militares no norte da Venezuela foram "desmembrados", revelou nesta quarta-feira a procuradora-geral, Luisa Ortega, enquanto crescem as denúncias sobre dezenas de execuções durante operações de segurança.

"Alguns estavam desmembrados (...). As necropsias revelaram a forma cruel como foram executados", assinalou a procuradora à emissora Venevisión, indicando que nove corpos já foram identificados.

Ortega confirmou que as vítimas - encontradas em valas comuns na sexta e sábado da semana passada - não tinham antecedentes criminais nem estavam cometendo delitos no momento de sua prisão.

Segundo a procuradora, os agricultores foram capturados na localidade de Barlovento, no estado de Miranda, entre os dias 15 e 16 de outubro. Ela não falou sobre os motivos do massacre.

Os fatos reavivaram as denúncias de violações dos direitos humanos em ações especiais contra a criminalidade, chamadas Operações de Libertação do Povo (OLP), realizadas em julho de 2015 pelo presidente Nicolás Maduro.

Inti Rodríguez, coordenador da ONG defensora dos direitos humanos Provea, assegurou nesta quarta-feira que desde o início das OLP já ocorreram 850 mortes pelas mãos de militares.

É uma "operação de extermínio", afirmou o líder opositor Henrique Capriles, que sustentou - citando um "relatório confidencial" da Procuradoria - que no ano passado as OLP deixaram 883 mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos