Síria: mais 50.000 pessoas fugiram do exército em Aleppo

Beirute, 30 Nov 2016 (AFP) - Mais de 50.000 pessoas fugiram ante o avanço das forças do regime sírio nos bairros rebeldes de Aleppo nos últimos quatro dias, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Mais de 20.000 delas buscaram refúgio na parte de Aleppo controlada pelo governo e outras 30.000 no área em poder das forças curdas na cidade, a segunda mais importante da Síria, de acordo com o OSDH.

O êxodo começou no fim de semana com a intensificação dos combates terrestres e dos bombardeios aéreos que permitiram às tropas de Bashar al-Assad avançar na zona rebelde e reconquistar algumas áreas.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) calculou na terça-feira à noite em 20.000 o número de civis que fugiram do leste de Aleppo durante as últimas 72 horas.

As forças do regime cercam a zona leste de Aleppo desde julho. Quase 250.000 habitantes moravam nesta cidade em situação de miséria absoluta, praticamente sem alimentos, energia elétrica ou medicamentos.

A situação é "alarmante e aterradora", afirmou na terça-feira o secretário de operações humanitárias da ONU, Stephen O'Brien.

"Quase nenhum hospital está aberto e as reservas de alimentos estão praticamente esgotadas", disse.

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá nesta quarta-feira em Nova York para analisar a situação em Aleppo, de acordo com fontes diplomáticas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos