Marinheiros chilenos investigados por gravar imagens íntimas de companheiras

Santiago, 29 dez 2016 (AFP) - Nove marinheiros chilenos estão sendo investigados por gravar vídeos com um smartphone no alojamento das marinheiras em um navio de guerra, informou a Marinha do Chile nesta quinta-feira.

Em uma nota à imprensa, a Marinha explicou que abriu uma investigação após descobrir "a existência de vídeos gravados com telefones celulares no alojamento do pessoal feminino de um navio da Armada".

A presidente Michelle Bachelet qualificou de "inaceitável" a situação e pediu "o fim de todas as formas de violência contra as mulheres", em uma mensagem no Twitter.

Os nove marinheiros estão sob investigação por diversos delitos ligados ao caso, inclusive o dono do smartphone, que permanece sob detenção.

Todos os envolvidos são marinheiros profissionais que estavam embarcados na fragata 'Almirante Lynch'.

O ministro da Defesa, José Antonio Gómez, condenou o fato e garantiu que a instituição será "implacável" em aplicar sanções aos responsáveis.

O ex-comandante da Marinha Jorge Arancibia declarou que exatamente por estes fatos é que se opôs "terminantemente ao ingresso de mulheres" na arma, o que ocorreu há uma década.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos