Israel: promotoria pede de 3 a 5 anos de prisão para soldado que matou palestino

Tel Aviv, 1 Fev 2017 (AFP) - Uma promotoria militar israelense pediu nesta terça-feira (31) entre três e cinco anos de prisão para o soldado Elor Azaria, acusado de ter matado um palestino ferido na Cisjordânia ocupada.

"Estimamos que a pena apropriada para o acusado não deve ser inferior a três anos e sem que ultrapasse os cinco anos", afirmou o promotor militar Nadav Weisman durante o processo em Tel Aviv.

Após vários meses de julgamento no tribunal militar que começou em maio e dividiu profundamente a opinião pública, o sargento Elor Azaria foi declarado culpado pelo homicídio em 4 de janeiro.

Durante o processo judicial, ele foi defendido por vários políticos conservadores, apesar de militares de alta patente terem condenado sua atuação.

scw/jlr/vl/lmm./cc/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos