Procuradora-geral venezuelana denuncia 'ruptura da ordem constitucional'

Caracas, 31 Mar 2017 (AFP) - A procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, denunciou inesperadamente nesta sexta-feira uma "ruptura da ordem constitucional" em seu país, depois da decisão do Tribunal Supremo de Justiça de assumir as funções do Parlamento e retirar a imunidade dos dos deputados.

"Nessas sentenças se evidenciam várias violações da ordem constitucional e desconhecimento do modelo de Estado consagrado em nossa Constituição (...), o que constitui uma ruptura da ordem constitucional", assinalou Ortega, muito ligada ao chavismo, durante um ato público.

Trata-se da primeira funcionária venezuelana de alto nível que critica a decisão do Tribunal Supremo.

Segundo a oposição, que controla a Assembleia Legislativa, praticamente todas as demais instituições do Estado se encontram sob controle do governo.

"É minha obrigação manifestar ante o país minha grande preocupação por tal evento", enfatizou a Procuradora durante a apresentação de um relatório, transmitida ao vivo pela tv estatal.

Estas declarações foram seguidas de aplausos por parte do público presente, e causou surpresa entre os repórteres da televisão, de marcada linha governista.

erc-axm/yow/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos