ONU preocupada com decisão do Supremo venezuelano sobre procuradora-geral

Genebra, 30 Jun 2017 (AFP) - A ONU considerou muito preocupante a decisão do Tribunal Supremo da Justiça (TSJ) da Venezuela de proibir que a procuradora-geral Luisa Ortega, crítica ao regime, deixe o país e também tenha seus bens congelados.

"Igualmente preocupante é a atual violência no país", declarou, em Genebra, o porta-voz da ONU para os direitos humanos, Rupert Colville.

Ortega, uma chavista histórica, surpreendeu o país ao virar uma férrea opositora do presidente Nicolás Maduro por considerar suas decisões uma "ruptura da ordem constitucional".

A advogada de 59 anos empreendeu desde então uma luta judicial contra Assembleia Constituinte convocada por Maduro e contra os juízes do TSJ, que na terça-feira decidirá se a levará a julgamento.

O Relator Especial da ONU sobre a independência dos juízes e advogados, Diego García-Sayán, também criticou a decisão do TSJ em relação a Ortega.

"Este é outro passo a mais contra a institucionalidade democrática e a autonomia do Ministério Público da Venezuela", afirmou.

bur-gm/eg/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos