Alemanha reforça regras sobre investimentos estrangeiros em setores estratégicos

Berlim, 12 Jul 2017 (AFP) - O governo alemão adotou, nesta quarta-feira (12), um decreto para reforçar as regras sobre investimentos estrangeiros em suas empresas consideradas estratégicas, em um contexto de desconfiança quanto aos investimentos chineses na Europa.

"Continuamos sendo uma das economias mais abertas do mundo, mas também velamos para que as condições de concorrência continuem sendo justas", disse a ministra da Economia, a social-democrata Brigitte Zypries, em um comunicado.

Berlim quer prorrogar de dois para quatro meses o período de estudo das ofertas de compra de empresas de fora da União Europeia (UE).

A preocupação é, sobretudo, com companhias em setores estratégicos, como redes elétricas, centrais nucleares, abastecimento de água, redes de telecomunicações, hospitais, ou aeroportos.

O decreto tem o objetivo de "adaptar as modalidades dos processos de análise ao crescente número de compras de empresas, cada vez mais complexas", explica a ministra da Economia.

Embora nenhum país seja citado em particular, a China está no alto da lista, em meio à preocupação com o "expansionismo chinês" - nas palavras da chanceler alemã, Angela Merkel.

Na UE, a Alemanha apoiou a proposta do presidente francês, Emmanuel Macron, de dar mais poder a Bruxelas para controlar as aquisições estrangeiras no bloco europeu e, com isso, proteger os setores estratégicos.

A ideia desagrada, porém, a outros membros do bloco, entre eles Portugal, Grécia e Espanha. De economia menos pujante, eles temem que a medida seja um obstáculo para os investimentos chineses em seus países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos