PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Índia condena guru influente a 10 anos de prisão por estupro

28/08/2017 08h47

Rohtak, Índia, 28 Ago 2017 (AFP) - A justiça indiana condenou nesta segunda-feira o influente e polêmico guru Gurmeet Ram Rahim Singh a 10 anos de prisão por estupro, poucos dias depois dos protestos convocados por seus seguidores que deixaram 38 mortos.

"Ram Rahim foi condenado a 10 anos de prisão", declarou à AFP Utsav Singh Bains, advogado de uma das vítimas.

Dezenas de milhares de simpatizantes do guru espalharam o terror na semana passada em várias cidades do norte do país, incendiando dezenas de veículos e provocando distúrbios, depois que a justiça declarou seu líder culpado de estuprar duas de suas seguidoras em 2002.

Conhecido por gostar de joias e por suas roupas chamativas, o líder espiritual de 50 anos, à frente da seita Dera Sacha Sauda, afirma ter mais de 50 milhões de adeptos em todo o mundo.

As partes civis já anunciaram a intenção de apelar contra a sentença.

"Consideramos que pelo menos outras 48 vítimas foram agredidas sexualmente e teriam falecido ou teriam muito medo de romper o silêncio", disse Bains.

Esta não é a primeira vez que Gurmeet Ram Rahim Singh se encontra no centro de uma polêmica. Em 2015 foi acusado de ter incentivado 400 de seus discípulos a se castrar para ficar mais próximo dos deuses. Além disso, foi processado em uma investigação do assassinato de um jornalista em 2002

As autoridades reforçaram o dispositivo de segurança na cidade de Rohtak (estado de Haryana), onde o guru está detido, para evitar uma nova onda de violência.

Também cortaram as redes de internet móvel e instalaram postos de controle policial nas estradas.

"Se a situação exigir o uso de armas de fogo, meus oficiais têm total liberdade de decisão", declarou o chefe de polícia de Rohtak.

bur-amd/at/bc/pc/fp

Internacional