PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Iêmen: governo e rebeldes se reúnem em Hodeida para tentar salvar trégua

26/12/2018 11h06

Hodeidah, Iêmen, 26 dez 2018 (AFP) - O coordenador dos observadores da ONU para o Iêmen reuniu, nesta quarta-feira (26), os representantes do governo e dos rebeldes huthis para tentar salvar a frágil trégua em Hodeida e conseguir a aplicação das outras cláusulas do acordo.

"A reunião começou" em Hodeida, afirmou uma fonte pró-governo, que pediu para não ser identificada e disse esperar "bons resultados".

Alguns minutos antes, uma fonte da ONU confirmou a reunião, com a presença de todos os participantes esperados.

A delegação do governo chegou à cidade de Hodeira, controlada pelos rebeldes, em um comboio da ONU.

O porta-voz do coordenador da ONU, Stéphane Dujarric, descreveu a reunião como uma "prioridade" da missão dos observadores das Nações Unidas, liderada pelo general reformado holandês Patrick Cammaert.

O encontro acontece, porém, após confrontos esporádicos na cidade entre os rebeldes huthis xiitas, que também controlam outras grandes zonas do Iêmen, como a capital Sanaa, e as forças governamentais, apoiadas por uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita.

Trocas de tiros e disparos de artilharia foram registrados durante a noite, antes de uma interrupção na madrugada de quarta-feira.

A cidade portuária da região oeste do Iêmen, a principal frente de batalha da guerra, é o ponto de entrada da maior parte da ajuda humanitária e das importações de alimentos do país.

Os beligerantes estão, no entanto, submetidos a uma trégua que entrou em vigor em 18 de dezembro, prevista pelo acordo alcançado em uma reunião na Suécia com a mediação da ONU.

- Trégua frágil -Na prática, os combates esporádicos não cessaram realmente desde então, e os dois lados trocam acusações de violação do cessar-fogo.

Na terça-feira, uma fonte da coalizão militar sob comando saudita acusou os rebeldes huthis de 183 violações da frágil trégua em Hodeida.

A fonte, que falou sob anonimato, afirmou que dez membros das forças pró-governo iemenitas morreram na província desde que a trégua entrou em vigor, há uma semana.

"Infelizmente, os huthis tentam provocar uma resposta da coalizão", acusou, anunciando pela primeira vez um balanço de vítimas do lado governamental desde 18 de dezembro.

Os rebeldes afirmam diariamente que as forças governistas são responsáveis pelo mesmo tipo de violação da trégua.

Desde sua chegada ao Iêmen no sábado, Cammaert pediu tanto aos huthis quanto ao lado pró-governo que respeitem a trégua.

str-sy-mah/mh/hj/bc/age/fp/tt

Internacional