Topo

Dalai Lama nega que Índia tenha proibido encontro com Xi Jinping

21/05/2019 14h33

Nova Délhi, 21 Mai 2019 (AFP) - O Dalai Lama negou nesta terça-feira as afirmações, reunidas em um livro, segundo as quais em 2014 uma reunião entre o líder religioso tibetano no exílio e o presidente chinês Xi Jinping teria sido organizada, mas a Índia teria se recusado a servir de anfitrião.

No livro "Defining India: Through Their Eyes" (Definindo a Índia: Por seus Olhos, em tradução livre), sua autora, Sonia Singh, afirma que o governo do primeiro-ministro Narendra Modi fez fracassar um projeto de reunião em Nova Delhi entre o líder budista tibetano e Xi Jinping, temendo os problemas diplomáticos que poderia causar com Pequim.

Segunda a autora, em uma entrevista realizada em 2014, o Dalai Lama explicou que o presidente Xi havia aceitado essa reunião, mas que o governo indiano "foi um pouco cauteloso".

No entanto, os serviços do Dalai Lama negaram esta versão dos fatos nesta terça-feira.

"Embora tenhamos proposto um encontro entre Sua Santidade e o presidente Xi Jinping durante sua visita à Índia em 2014, as autoridades chinesas não deram uma resposta definitiva", disse Chhime R. Chhoekyapa, secretário do monge.

"Como resultado, não havia razão para o governo indiano ser cauteloso com essa iniciativa", disse ele em um comunicado.

O Dalai Lama, de 83 anos, que vive exilado na Índia desde que fugiu do Tibete em 1959, tem sido visto por Pequim como seu inimigo há décadas, embora não defenda mais a independência de seu país, mas sim a autonomia.

A Índia, que há tempos apoia o líder budista tibetano, ultimamente se tornou mais distante por temer ofender a China diplomaticamente.

abh/tw/amu/mr/tmo/age/mar/mb/mr

Mais Internacional