PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
11 meses

China diz que não deseja mais confrontos com a Índia na fronteira

Um policial paramilitar chinês vigia a entrada da embaixada da Índia em Pequim - GREG BAKER / AFP
Um policial paramilitar chinês vigia a entrada da embaixada da Índia em Pequim Imagem: GREG BAKER / AFP

17/06/2020 06h35

A China "não deseja" mais confrontos com a Índia, afirmou hoje o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, depois do grave incidente entre militares chineses e indianos na segunda-feira na fronteira do Himalaia.

"No que diz respeito a China, não queremos ver mais confrontos com a Índia", declarou Zhao Lijian, antes de pedir aos indianos que "evitem os gestos de provocação" que possam agravar a situação.

Os dois países trocaram acusações pelo incidente de segunda-feira, que terminou com 20 soldados indianos, enquanto a China se recusa a confirmar baixas entre suas forças.

O porta-voz da diplomacia chinesa insistiu que as tropas indianas atravessaram ilegalmente a fronteira e atacaram o lado chinês.

"Isto levou a um confronto físico grave entre os dois lados, com mortos e feridos", declarou Zhao, sem entrar em detalhes sobre as vítimas.

De acordo com o porta-voz, a China pediu à Índia para "conter rigorosamente as tropas da linha de frente, que não atravessem ilegalmente a fronteira e não adotem ações unilaterais que compliquem a situação na fronteira".

Ao mesmo tempo, Zhao afirmou que os dois lados "seguirão resolvendo este assunto por meio do diálogo e das negociações".

"Obviamente, não desejamos mais confrontos", concluiu.

Internacional