PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Interpol diz que crime organizado ficará focado em vacinas contra a covid

Vacina CoronaVac desenvolvida para combate à pandemia do novo coronavírus    - TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO
Vacina CoronaVac desenvolvida para combate à pandemia do novo coronavírus Imagem: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO

02/12/2020 10h44

A organização internacional Interpol enviou nesta quarta-feira (2) uma mensagem de alerta aos seus 194 países membros, alertando-os para se prepararem para ações do crime organizado focadas em vacinas contra o novo coronavírus.

Em uma comunicação de alerta de segurança, a organização de cooperação policial internacional com sede em Lyon (centro-leste da França) alerta sobre uma "potencial atividade criminosa sobre falsificação, roubo ou promoção ilegal de vacinas contra a covid-19 e gripe".

"A pandemia já deu origem a uma atividade criminosa predatória e oportunista sem precedentes", recorda a Interpol, que ressalta já ter verificado "a promoção, venda e administração de falsas vacinas" contra o coronavírus.

"À medida que várias vacinas para a covid-19 se aproximam da aprovação (...) será crucial garantir a segurança da cadeia de abastecimento e identificar sites ilícitos que vendem produtos falsificados na internet", afirma.

Essas ações "constituem um risco significativo para a saúde e até para a vida" das vítimas dessas organizações ou indivíduos, acrescentou o secretário-geral da Interpol, Jurgen Stock, em um comunicado.

"É essencial que as autoridades estejam o mais preparadas possível para o surgimento de todos os tipos de atividades criminosas relacionadas às vacinas contra a covid-19", finalizou Stock.

A Interpol também pede vigilância contra o risco de circulação de falsos testes de detecção, cujo uso pode se multiplicar com a retomada das viagens internacionais.

Coronavírus