PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
4 meses

Nevasca castiga EUA e Canadá, suspendendo viagens e fornecimento de energia

Transporte foi seriamente afetado, com milhares de voos cancelados e uma parte da rodovia I-95 fechada - Cole Burston/AFP
Transporte foi seriamente afetado, com milhares de voos cancelados e uma parte da rodovia I-95 fechada Imagem: Cole Burston/AFP

17/01/2022 20h35Atualizada em 17/01/2022 21h12

Uma forte nevasca cobriu de branco nesta segunda-feira (17) uma faixa da América do Norte e cortava a costa leste dos Estados Unidos rumo ao Canadá, interrompendo viagens e suspendendo o fornecimento de energia elétrica em milhares de casas.

Cerca de 120 mil americanos estavam sem luz às 16h45 locais (19h45 de Brasília), segundo o portal PowerOutage.us, especialmente na Virgínia Ocidental e nos estados de Carolina do Norte e do Sul e da Geórgia, no sudeste do país.

O transporte foi seriamente afetado, com milhares de voos cancelados e uma parte da rodovia estadual I-95 fechada na Carolina do Norte.

Quase 1.600 voos partindo, chegando ou dentro dos Estados Unidos foram cancelados até o meio-dia de segunda-feira, somando-se aos 3 mil suspensos no dia anterior, segundo o site de monitoramento FlightAware.

O aeroporto internacional de Charlotte Douglas, na Carolina do Norte, foi o mais atingido, com 1.200 voos cancelados, mais de 90% das viagens programadas.

O Serviço Nacional de Meteorologia (NWS) disse que "a intensidade do vento diminuirá lentamente", mas a neve continuará caindo até a noite na parte mais alta de Nova York e Nova Inglaterra.

A nevasca mais forte, de 2 pés e 2,5 polegadas (cerca de 56 cm), foi registrada em Ashtabula, Ohio, informou a entidade.

"Impactos significativos pela neve, o gelo, o vento e as inundações costeiras seguirão em uma vasta área", alertou o NWS em um tuíte.

A tempestade gerou danos causados por tornados na Flórida, enquanto nas Carolinas e na parte alta dos Montes Apalaches, as condições climáticas causaram preocupação.

Ventos intensos derrubaram árvores e levaram a inundações, com uma maré de tempestade de 3,6 metros relatada em Boston.

No Canadá, boa parte das províncias de Quebec e Ontário continuam sendo afetadas pela tempestade de neve ou com alerta de ventos fortes, segundo o site do governo do país.

Em Toronto, esperava-se cerca de 60 centímetros de neve. "Uma tempestade histórica para a cidade", tuitou Anthony Farnell, chefe de meteorologia do canal de televisão canadense Global News.

A polícia da cidade informou no Twitter que teve que fechar dois trechos da rodovia devido ao frio extremo e pediu aos motoristas que ficassem em casa.

Várias escolas foram fechadas e os ônibus escolares não estavam operando em Quebec e no sul de Ontário, incluindo a área de Toronto. Os alunos deveriam retornar às aulas em ambas as províncias nesta segunda-feira, após as férias.

Estado de emergência

Os motoristas foram avisados sobre as condições perigosas das estradas, assim como dos grandes problemas para viajar do estado de Arkansas, no sul dos EUA, até Quebec, no Canadá.

"Estamos vendo muitos veículos que precisam parar e descongelar o para-brisa", disse o ministro dos Transportes de Quebec em um tuíte nesta segunda-feira.

"As chuvas fortes e as rajadas de vento permitem a formação de gelo apesar dos limpadores de para-brisa, mais uma razão para ficar em casa", acrescentou.

Autoridades nos Estados Unidos também desencorajaram viagens de carro em vários estados e enviaram equipes para lidar com emergências, especialmente no sul, onde a neve é muito menos comum.

Esta segunda-feira é feriado em todos os Estados Unidos, então escolas e muitas empresas estão fechadas, no entanto, muitos motoristas aproveitam o fim de semana prolongado para viajar.

Os Estados Unidos já viveram o caos do inverno no início deste mês com fortes nevascas depois que uma tempestade cobriu grandes áreas no nordeste do país. Centenas de motoristas ficaram presos por mais de 24 horas na I-95, a rodovia interestadual que percorre toda a costa leste do país.

Internacional