Topo

OEA pede urgência ao Congresso boliviano na realização de novas eleições

Renúncia de Evo Morales ainda precisa ser acatada pelo Congresso para ser validada - Getty Images
Renúncia de Evo Morales ainda precisa ser acatada pelo Congresso para ser validada Imagem: Getty Images

11/11/2019 16h11

Resumo da notícia

  • OEA pede ao Legislativo que nomeie novas autoridades para o TSE boliviano e garanta novas eleições
  • Com a renúncia de Evo Morales, de seu vice e mais dois, a Bolívia está sem um governante
  • Mesmo preocupada com a crise política no país, a OEA afirma rejeitar qualquer saída inconstitucional à situação

Em um comunicado divulgado hoje (11), a Organização dos Estados Americanos (OEA) pediu urgência aos legisladores da Bolívia para que nomeiem novas autoridades para renovar o Tribunal Supremo Eleitoral e garantir novas eleições.

Com a renúncia de Evo Morales, que ainda precisa ser acatada pelo Congresso para que seja validada, e a saída de Álvaro García Linera, vice-presidente do país, de Víctor Borda, presidente da Câmara dos Deputados, e de Adriana Salvatierra, presidente do Senado, a Bolívia está sem um governante.

Preocupada com a crise política e institucional e com a gravidade e a violência das manifestações no país, a OEA emitiu documento em que afirma rejeitar qualquer saída inconstitucional à situação.

"A Secretaria-Geral solicita que a Assembleia Legislativa Plurinacional da Bolívia se reúna com urgência para garantir o funcionamento institucional e designar novas autoridades eleitorais que garantam um novo processo eleitoral. Da mesma forma, é importante que a Justiça continue investigando as responsabilidades existentes em relação à prática de crimes relacionados ao processo eleitoral realizado em 20 de outubro, até as últimas consequências", afirmou, em nota, a OEA.

Internacional