PUBLICIDADE
Topo

Cidade do Rio tem 90% de UTIs para covid-19 ocupadas na rede pública

5.jun.2020 - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), inaugura deque revitalizado na Lagoa Rodrigues de Freitas - André Melo Andrade/Myphoto/Estadão Conteúdo
5.jun.2020 - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), inaugura deque revitalizado na Lagoa Rodrigues de Freitas Imagem: André Melo Andrade/Myphoto/Estadão Conteúdo

05/06/2020 17h58Atualizada em 05/06/2020 18h51

Os leitos de unidades de terapia intensiva reservados para pacientes com covid-19 na cidade do Rio de Janeiro tinham uma ocupação de 90% no fim da manhã de hoje, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Nos leitos de enfermaria, a ocupação é menor, de 54%.

Os percentuais levam em conta todo o SUS (Sistema Único de Saúde) no município, o que também inclui hospitais estaduais e federais. Há um total de 1.792 pessoas internadas na cidade com suspeita de covid-19, sendo 698 em UTIs. A rede municipal atende a 682 pacientes internados, 217 deles em UTIs.

A prefeitura do Rio de Janeiro iniciou nesta semana o afrouxamento das restrições às atividades econômicas, com um plano de retomada que tem seis fases, cada uma com 15 dias, e prevê a abertura de todos os setores somente em agosto.

A fase 1 da reabertura, em que a cidade se encontra no momento, requer que a ocupação dos leitos de UTI seja menor ou igual a 95% em uma média móvel de sete dias, entre outros critérios.

O município do Rio abriu 1.252 leitos para o tratamento da doença desde o início da pandemia. Destes, 242 são de UTI.

Desde o início da pandemia, o município já registrou 33.695 casos confirmados de covid-19, além de 4.231 mortes. O número de pessoas que se recuperaram da doença é 27.781, e 1.683 casos são considerados ativos.

Coronavírus