Topo

Bolsonaro se esquiva e diz não conhecer novo presidente da Fundação Palmares

23.nov.2019 - O presidente Jair Bolsonaro - Celso Pupo/Fotoarena/Estadão Conteúdo
23.nov.2019 - O presidente Jair Bolsonaro Imagem: Celso Pupo/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Mateus Vargas

Em Brasília

28/11/2019 09h45

O presidente Jair Bolsonaro se esquivou de perguntas sobre as bandeiras que defende o novo presidente da Fundação Palmares, Sergio Nascimento de Camargo, e disse hoje que não o conhece pessoalmente.

Nomeado ontem ao cargo, o novo presidente da Fundação Palmares, instituição ligada à Secretaria Especial de Cultura, afirmou em suas redes sociais que o Brasil tem um "racismo nutella", defendeu a extinção do feriado da Consciência Negra e declarou apoio irrestrito ao presidente Bolsonaro.

Camargo também afirmou que a escravidão foi "benéfica para os descendentes" e atacou personalidades como a ex-vereadora do Rio Marielle Franco e a atriz Taís Araújo.

A nomeação faz parte de uma série promovida pelo novo secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, para quem Bolsonaro já disse ter dado total liberdade para montar a sua equipe.

Denúncia

Bolsonaro deu risada ao ser questionado sobre ser alvo de denúncia no Tribunal Penal Internacional (TPI). "Próxima pergunta", disse.

O presidente foi denunciado por "crimes contra a humanidade" e "incitação ao genocídio de povos indígenas" do Brasil.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a representação é da Comissão Arns e do Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos. A representação também foi assinada pelo ex-ministro José Gregori e pelos advogados Antonio Carlos Mariz de Oliveira, Eloisa Machado e Juliana Vieira dos Santos. As declarações de Bolsonaro hoje foram dadas em frente ao Palácio da Alvorada.

Ouça o podcast Baixo Clero com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política