PUBLICIDADE
Topo

Já são seis casos e duas mortes por coronavírus entre indígenas

Fila para vacinação de crianças indígenas no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), em março - Ministério da Saúde
Fila para vacinação de crianças indígenas no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), em março Imagem: Ministério da Saúde

André Borges e Cyneida Correia

Em Brasília

09/04/2020 08h15

O coronavírus já entrou nas terras indígenas. Atualmente, há seis casos confirmados de contaminação por covid-19 entre indígenas e dois óbitos, segundo informações da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). A Funai informou que impediu a entrada de qualquer não índio em todas as terras indígenas do País. A fiscalização, no entanto, é mínima.

Especialistas lembram que os povos indígenas são, naturalmente, mais vulneráveis a epidemias por causa de condições precárias sociais e de saúde.

Ontem, as organizações Greenpeace, Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e Apoika emitiram uma nota para alertar sobre o risco de iminente invasão da terra indígena Karipuna, em Rondônia. Na semana passada, 115 instituições da Amazônia e demais regiões do Brasil emitiram um manifesto de alerta ao governo, para cobrar ações emergenciais contra a covid-19 nas tribos.

Um estudante indígena de 15 anos está em estado grave na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Geral de Roraima com coronavírus. Ele deu entrada no hospital com quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e seu primeiro teste para coronavírus deu negativo. O segundo, no entanto, confirmou a contaminação. O estudante Alvanei Yanomami mora na aldeia Rehebe às margens do Rio Urariquera e estudava na cidade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Coronavírus