PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Sem máscara, Bolsonaro recebe visita de presidente de Portugal

Jair Bolsonaro recebe presidente de Portugal,Marcelo Rebelo de Sousa - Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro recebe presidente de Portugal,Marcelo Rebelo de Sousa Imagem: Marcos Corrêa/PR

Lauriberto Pompeu

Do Estadão Conteúdo, em Brasília

02/08/2021 16h56

O presidente Jair Bolsonaro recebeu hoje a visita do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, que participou de um almoço no Palácio da Alvorada.

Durante o encontro, Bolsonaro não usou máscara, prática recomendada para evitar a propagação do coronavírus. Ao contrário do brasileiro, o presidente português e a delegação do país usavam máscaras. O chefe de Estado brasileiro não esconde a contrariedade em usar o equipamento de proteção e já tentou desobrigar o uso, algo que iria na contramão do que recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS) para conter a expansão do vírus.

Participaram do almoço, ainda, o vice-presidente Hamilton Mourão e os ministros Carlos França (Relações Exteriores), Ciro Nogueira (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). Todos sem máscara.

O presidente de Portugal estava no Brasil para participar da reinauguração do Museu Nacional da Língua Portuguesa. O evento ocorreu no sábado (31) e contou com as participações dos ex-presidentes Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso.

Rebelo também teve um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio do Lula da Silva na capital paulista. Bolsonaro não participou da reabertura do museu, que estava fechado desde dezembro de 2015, quando foi atingido por um incêndio.

Na semana passada, Bolsonaro recebeu o presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, que também veio ao Brasil para a reabertura do museu.

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.