Conteúdo publicado há 8 meses

Mecanismos da democracia precisaram ser reanalisados a partir de ataques golpistas, diz Moraes

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse nesta quarta-feira, 16, que os mecanismos de defesa da democracia precisaram ser "reanalisados" a partir de ataques golpistas. "Não se faz mais discursos golpistas de acabar com democracia, mas discursos golpistas de remodelar a democracia", disse Moraes. De acordo com o ministro, tais ataques era "inimagináveis" há anos atrás e as instituições precisaram se adaptar.

"Houve necessidade de nova leitura institucional no sentido finalístico. Não é possível que a Constituição permita a utilização sem limites de determinadas previsões, liberdades, para que possa a própria democracia, o Estado de direito, serem rompidos", afirmou.

Sem citar o ex-presidente Jair Bolsonaro, ele disse que o novo método de ataque "é muito mais nocivo do que métodos anteriores" e se baseia no "populismo que, de forma inteligente, passou a atacar a democracia internamente".

Moraes falou na abertura de seminário que trata da proteção da democracia contra ameaças externas. De iniciativa do ministro Gilmar Mendes, do STF, o seminário "Democracia defensiva: experiência da Alemanha e do Brasil" é realizado nesta quarta-feira na sede da Corte.

Participam da mesa, ainda, o corregedor-geral do TSE, Benedito Gonçalves, o advogado-geral da União, Jorge Messias, e os ministros do TSE Floriano de Azevedo Marques e André Tavares.

Nesta terça-feira, 15, em outro evento realizado no TSE, Moraes também disse que a Corte eleitoral e o Supremo Tribunal Federal (STF) precisaram "inovar" para proteger a Constituição.

Deixe seu comentário

Só para assinantes