Conteúdo publicado há 3 meses

Lula planeja inaugurar obras em São Paulo a fim de fortalecer pré-campanha de Boulos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pretende se envolver ativamente na disputa pela Prefeitura de São Paulo neste ano. Exemplo disso é a intenção do petista em realizar inaugurações de obras na capital paulista a fim de fortalecer a candidatura do deputado Guilherme Boulos (PSOL-SP) ao Edifício Matarazzo, sede da administração paulistana.

Entre os lançamentos do governo federal que vão servir de palanque para o psolista, estão duas unidades do IFSP (Instituto Federal de São Paulo), que serão construídas em bairros periféricos, e o câmpus Itaquera da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). A informação foi noticiada pela CNN Brasil e confirmada pelo Estadão.

Também são aguardados anúncios do governo Lula em outras áreas, como saúde e habitação. No ano passado, o presidente já assinou o contrato de início de obras de um conjunto habitacional acompanhado de Boulos. O evento ocorreu na zona leste da capital, servindo para impulsionar a pré-candidatura do líder sem-teto.

Na ocasião, Boulos subiu ao palanque acompanhado de Lula e foi o primeiro a discursar no evento, destacando o problema da moradia na capital, uma de suas principais bandeiras políticas. Ele elogiou o governo petista, mencionando que o empreendimento demonstra a falta de preconceito contra movimentos sociais, visto que a habitação era uma reivindicação antiga do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).

Segundo pessoas próximas à campanha de Boulos, os eventos com Lula serão importantes não só para reforçar a imagem do psolista, como também para se contrapor ao peso da máquina municipal e da estadual, que vão atuar a favor do prefeito Ricardo Nunes (MDB), que busca a reeleição com o apoio do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), que frequentemente o convida para entregas de obras.

Lula vai priorizar agenda interna

Enquanto o primeiro ano do terceiro mandato de Lula foi marcado por uma extensa agenda internacional, na qual o presidente visitou 24 países em 15 viagens ao exterior, o segundo ano será caracterizado por viagens pelo País, em ano de eleições municipais, com conversas com prefeitos, governadores e o setor privado.

Neste contexto, o petista deve concentrar esforços nas eleições municipais de 2024. Apesar da escassez de nomes competitivos do PT em grandes colegiados, como São Paulo e Rio de Janeiro, a estratégia é formar alianças com parceiros estratégicos, Boulos e o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD).

Além disso, o PT já definiu candidaturas próprias em 11 capitais, número que pode subir para 14 nos próximos meses: ainda não há definições em Florianópolis, Manaus e Cuiabá. A tendência é que nas demais cidades o apoio seja a candidatos de partidos da base do governo Lula.

Deixe seu comentário

Só para assinantes