Terremoto no Japão

Ex-dirigentes de Fukushima são indiciados por negligência

Em Tóquio

  • AFP

Três ex-dirigentes da usina de Fukushima, no Japão, foram indiciados formalmente nesta segunda-feira (29) por negligência após o desastre nuclear.

Eles serão os primeiros a serem julgados pelo episódio ocorrido em 2011.

O ex-presidente do Conselho de Administração do grupo Tepco, que operava a central de Fukushima, Tsunehisa Katsumata, 75, e dois vice-presidentes-executivos, Sakae Muto, 65, e Ichiro Takekuro, 69, foram convocados para comparecer diante da Justiça.

Um comitê formado por cidadãos independentes escolhidos por sorteio votará pela incriminação ou não dos três suspeitos. Eles são acusados de não ter tomados as medidas necessárias para evitar a contaminação de dezenas de pessoas, mesmo tendo sido alertados desde 2009 sobre o risco de um tsunami.

Os executivos, por sua vez, dizem que prever a magnitude do tsunami era impossível.

Em março de 2011, todos os reatores nucleares do país foram desativados após um tsunami ter provocado um vazamento na central de Fukushima. O incidente é considerado o pior desastre do tipo desde Chernobyl, em 1986.

Em setembro do ano passado, a planta de Sendai foi a primeira do Japão a atingir todos os requisitos de segurança impostos por leis implantadas em 2013, consideradas pelo governo como "as mais severas do mundo" e voltou a produzir energia por meio de um reator atômico em agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos