Farc pode mudar de novo e virar partido político

SÃO PAULO, 23 SET (ANSA) - O presidente Michel Temer desistiu de participar da cerimônia de assinatura do acordo de paz entre o governo colombiano e o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), agendado para a próxima segunda-feira (26), em Cartagena das Índias.   

Temer tinha prometido ao presidente colombiano, Juan Manuel Santos, que assistiria ao ato histórico durante um encontro que tiveram em Nova York no início da semana. Porém, o peemedebista preferiu ficar no Brasil para tratar dos assuntos domésticos. O Brasil será representado no evento pelo ministro das Relações Exteriores, José Serra. O acordo de paz entre as Farc e a Colômbia coloca fim a um conflito de 52 anos que é considerado um dos mais antigos e sangrentos da América do Sul. Além da solenidade da assinatura do acordo, Temer também desistiu de participar da 25ª Cúpula Ibero-americana, que ocorrerá na mesma cidade, entre os dias 28 e 29 de setembro. Isso porque o presidente teme ser hostilizado por outros líderes da região que se colocaram contra o processo de impeachment da petista Dilma Rousseff. Futuro - As lideranças e membros das Farc estão reunidos em sua 10ª Conferência Nacional, na qual devem aprovar o texto do acordo de paz, negociado desde 2012 em Cuba. O anúncio da ratificação deve ocorrer amanhã (23), em mais um dia histórico para a Colômbia. Além disso, as Farc elaboram as diretrizes para fazer com que a guerrilha se torne um partido político, com objetivos, estratégias e estrutura física. Cogita-se a possibilidade de que as Farc passem a se chamar Movimento Bolivariano por uma Nova Colômbia. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos