Itália expulsa marroquina por 'radicalização'

ROMA, 23 SET (ANSA) - A Itália expulsou nesta sexta-feira (23) uma cidadã marroquina de 43 anos que havia manifestado "claros sinais de radicalização religiosa".   

Segundo o ministro do Interior Angelino Alfano, que determinou a deportação, ela também tinha mostrado "proximidade" à ideologia do Estado Islâmico (EI) e chegou a publicar em seu perfil no Facebook conteúdos ligados ao jihadismo.   

"A mulher tinha demonstrado uma forte hostilidade em relação aos xiitas, aos países ocidentais, aos judeus e aos ateus", declarou Alfano. Além disso, a marroquina escreveu "Amém, espero isso também para mim" em um post que dizia que imigrantes que fazem a jihad querem apenas uma bênção de Deus.   

A mulher residia em Perúgia, região central do país, e trabalhava como diarista. "A estratégia da prevenção é fundamental", acrescentou o ministro.   

Desde o início de 2015, a Itália já expulsou 116 pessoas suspeitas de radicalização, das quais 66 em 2016, quando o país reforçou seus controles antiterrorismo por conta dos recentes ataques na Europa. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos