Papa envia mensagem a Trump e pede defesa da 'dignidade'

Na Cidade do Vaticano

  • Stefano Rellandini/Reuters

Poucos minutos após a posse do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o papa Francisco enviou uma mensagem ao republicano pedindo empenho em defesa da "dignidade humana e da liberdade no mundo".

No texto, o líder da Igreja Católica ainda pede que a "estatura da América" seja medida sobretudo pela "preocupação com os pobres, marginalizados e necessitados.

"Em um momento no qual nossa família humana vive afligida por várias crises humanitárias que exigem políticas unitárias e de longo prazo, eu rezo para que suas decisões sejam guiadas pelos ricos valores espirituais e éticos que formaram a história do povo americano e pelo empenho de seu país na promoção da dignidade humana e da liberdade em todo o mundo", escreveu o pontífice.

Durante o voo de volta de sua viagem ao México, em fevereiro de 2016, o Papa chegou a dizer que qualquer pessoa que pense em construir um muro ao invés de criar pontes "não é cristã".

Poucos dias antes, o próprio Trump, que planeja levantar uma barreira na fronteira mexicana, havia acusado Francisco de ser "muito politizado".

Nos dias seguintes, ambos amenizaram o tom. Enquanto Jorge Bergoglio, por meio de seu porta-voz, garantiu que não tinha questionado a fé do republicano, o agora presidente dos EUA chamou o líder da Igreja Católica de "maravilhoso".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos