Mulher que ordenou morte de Jean Charles assume Scotland Yard

LONDRES, 22 FEV (ANSA) - A oficial Cressida Dick, comandante da operação que matou por engano o eletricista brasileiro Jean Charles de Menezes, foi promovida a chefe da Scotland Yard, a Polícia Metropolitana de Londres.   

Aos 56 anos de idade, Dick será a primeira mulher a ocupar o cargo, substituindo o aposentado Sir Bernard Hogan-Howe. A policial trabalhou nas forças antiterrorismo até 2014, quando foi destacada para um posto no Ministério das Relações Exteriores.   

Em julho de 2005, ela chefiou a operação que culminou no assassinato de Jean Charles, confundido com um terrorista em uma estação de metrô em Londres. Dick havia dado autorização para os policiais bloquearem o brasileiro "a qualquer custo".   

O incidente ocorreu duas semanas após os atentados de 7 de julho de 2005, quando 52 pessoas morreram em ataques a bomba no sistema de transportes da capital britânica. O brasileiro foi baleado pelas costas, com sete tiros. Até hoje, nenhum policial foi punido pelo erro.   

Poucos anos depois da morte do eletricista, a nova chefe da Scotland Yard foi condecorada pela rainha Elizabeth II por seus serviços prestados à organização. "Temos sérias preocupações em relação a essa nomeação. No comando da Polícia naquele dia fatídico quando Jean foi morto, estava Cressida Dick. A mensagem da nomeação de hoje é de que policiais podem agir com impunidade", diz um comunicado assinado por Patrícia Armani, prima do brasileiro.   

Por sua vez, Dick afirmou que não vê a hora de "proteger e servir o povo de Londres e trabalhar novamente como os fabulosos homens e mulheres" da Polícia. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos