Governo Trump impõe sanções contra Nicolás Maduro

NOVA YORK, 31 JUL (ANSA) - No dia seguinte à votação para a Assembleia Constituinte na Venezuela, os Estados Unidos aplicaram sanções diretamente contra o presidente do país latino, Nicolás Maduro.   

As medidas foram aprovadas nesta segunda-feira (31) pelo governo de Donald Trump e congelam os ativos de Maduro que estiverem sob jurisdição norte-americana. Além disso, proíbem qualquer cidadão dos EUA de fazer negócios com o mandatário venezuelano.   

"A votação ilegítima [da Constituinte] confirma que Maduro é um ditador que não respeita a vontade de seu povo. Com as sanções contra Maduro, os Estados Unidos reiteram sua oposição às políticas de seu regime e o próprio apoio ao povo da Venezuela", diz um comunicado do Departamento do Tesouro.   

Até então, as sanções de Washington haviam atingido apenas expoentes do regime chavista, como o ministro do Interior Néstor Reverol, e dirigentes de estatais, incluindo o vice-presidente de finanças da petrolífera Pdvsa, Simón Zerpa Delgado.   

Há cerca de suas semanas, Trump já havia ameaçado aplicar medidas contra o governo venezuelano por causa da Constituinte.   

Na ocasião, o presidente dos EUA definiu Maduro como um "péssimo líder que sonha em se tornar um ditador". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos