Corte condena Itália por 'tortura' contra manifestantes

ESTRASBURGO, 26 OUT (ANSA) - A Corte Europeia dos Direitos Humanos, sediada em Estrasburgo, na França, condenou a Itália nesta quinta-feira (26) pelo crime de "tortura" na repressão a manifestantes que protestavam contra uma cúpula do G8 em Gênova, em julho de 2001.   

Segundo o tribunal, cada uma das pessoas vitimadas pela ação das forças de ordem italianas tem direito de receber indenizações que vão de 10 mil a 85 mil euros. Além disso, a decisão critica o país por não ter conduzido um inquérito eficaz para apurar os fatos de 16 anos atrás.   

Essa já é a terceira sentença da Corte Europeia dos Direitos Humanos por causa da repressão a manifestantes no G8. Nas duas primeiras, emitidas em abril de 2016 e junho de 2017, o tribunal cobrava a aprovação de leis para punir eventuais atos de tortura cometidos pelas forças de segurança.   

No mês seguinte à segunda decisão, o Parlamento chancelou um projeto que introduziu o crime de tortura na legislação italiana, com penas de quatro a 10 anos de prisão para cidadãos comuns e de até 12 anos para agentes do Estado.   

A ação da polícia contra os manifestantes anti-G8 deixou uma pessoa morta, enquanto outras dezenas foram torturadas dentro de uma escola. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos