Berlusconi diz que pode se candidatar a premier da Itália

ROMA, 27 FEV (ANSA) - Em um fórum promovido pela ANSA e pelo Facebook nesta terça-feira (27), Silvio Berlusconi, de 81 anos, admitiu que está "disponível" para se candidatar novamente a primeiro-ministro da Itália caso as eleições de 4 de março não resultem em um novo governo, gerando um impasse e a convocação de um novo pleito em um ano. "Estou à disposição", disse Berlusconi, que ficou no cargo em 1994, e por outros três mandatos 2001-2005, 2005-2006 e 2008-2011. Hoje líder do partido de centro-direita Força Itália (FI), Berlusconi cogitou se candidatar caso as eleições do próximo domingo (4) não deem resultados suficientes para formar um novo governo. A Itália vive um momento de polarização política, com o crescimento de partidos de extrema-direita. O governista e esquerdista Partido Democrático (PD) perdeu força desde que Matteo Renzi renunciou, em 2016, após derrota em um referendo. Representante da centro-direita, o nome de Berlusconi começou a despontar para o cargo de primeiro-ministro nas últimas semanas, assim como o de Antonio Tajani, atual presidente do Parlamento Europeu e também membro do Força Itália. A ideia do Força Itália é que um dos dois assuma se a centro-direita conseguir a maioria no Parlamento italiano.   

"Não somos a Alemanha. Os partidos em disputa têm visões e princípios diferentes. Nós, líderes da centro-direita, estamos comprometivos com nossos eleitores a não criar grandes coalizões", comentou, referindo-se ao impasse eleitoral na Alemanha que obrigou a chanceler, Angela Merkel, a formar uma grande coalizão para governar. "A nossa coalizão não tem nada para fazer com Casapound (partido de extrema-direita e neofascista), nem com seus programas. Nem agora, nem depois das eleições", negou Berlusconi, ao ser questionado por um internauta sobre a possibilidade do Força Itália fazer acordo com o Casapound e com a Liga Norte, de Matteo Salvini.   

Respondendo perguntas dos leitores da ANSA ao vivo via Facebook, Berlusconi também alfinetou o Movimento 5 Estrelas (M5S), de Beppe Grillo.   

"O M5S não é capaz de administrar nem uma edícola. Perguntem a Luigi Di Maio como um rapaz que não conseguiu trabalhar nem estudar pode assumir a responsabilidade do governo de um país?", disse. Com 3.340 dias na liderança do governo italiano, Berlusconi é o político que mais tempo ocupou o cargo de premier na era da República.   

Ele também é considerado um dos políticos com maior número de processos judiciais: mais de 20, apesar de ter sido absolvido em vários. Em agosto de 2013, foi condenado a quatro anos de prisão por fraude fiscal, pena reduzida a um ano de trabalho voluntário. Mesmo assim, em 27 de novembro do mesmo ano, perdeu seu mandato de senador, o qual exercia há 20 anos, devido à condenação.   

Por isso, durante o ano de 2018, não pode se candidatar a nenhum cargo, ficando autorizado apenas a integrar um partido político e apoiar algum candidato. Caso o governo italiano não seja formado nestas eleições e ocorra um novo pleito em um ano, Berlusconi poderá se candidatar. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos