PUBLICIDADE
Topo

Internacional

ONU acusa Israel de cometer crimes contra humanidade

28/02/2019 08h54

GENEBRA, 28 FEV (ANSA) - Uma comissão da Organização das Nações Unidas (ONU) acusou Israel nesta quinta-feira (28) de abrir fogo intencionalmente contra civis palestinos durante manifestações no ano passado na Faixa de Gaza, o que pode "constituir crimes de guerra ou crimes contra a humanidade". De acordo com o presidente da Comissão investigadora, Santiago Cantón, "soldados israelenses cometeram violações contra os direitos humanos e o direito internacional humanitário e devem ser imediatamente investigados por Israel". A Comissão afirmou que alguns dos civis mortos ou feridos não representavam uma "ameaça iminente". "Semana a semana, mais de seis mil manifestantes foram atingidos por atiradores de elite militares durante os confrontos", incluindo jornalistas, crianças, portadores de deficientes, profissionais de saúde, entre outros. Embora reconheça a violência significativa das manifestações, o órgão investigador ressalta que elas não podem ser equiparadas a ações de combate, rejeitando substancialmente as alegações de Israel de que eram "atividades terroristas" por grupos armados palestinos. Além disso, a ONU também criticou o grupo palestino Hamas, que comanda a Faixa de Gaza desde 2008, por orquestrar o protesto em massa, que "era de natureza civil, com objetivos políticos claramente declarados". A investigação foi estabelecida em maio de 2018 e apurou as violações e supostos maus-tratos realizados durantes as manifestações que tiveram início em 30 de março de 2018 em Gaza.   

Israel, por sua vez, rejeitou o relatório e atribuiu ao Hamas a responsabilidade pelos confrontos e número de vítimas. "O teatro do absurdo praticado no Conselho de Direitos Humanos da ONU produz um documento hostil, falso e parcial contra Israel", disse o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz.   

A tensão da fronteira entre Gaza e Israel continua alta. Nas últimas noites militantes do Hamas voltaram a atacar soldados israelenses com garrafas incendiárias, fogos de artificio e bombas caseiras. Ontem (27), um explosivo lançado de Gaza foi detonado próximo a uma casa de um civil israelense no oeste de Negev. Em resposta, um porta-voz militar de Israel informou que aviões e helicópteros atingiram "alvos terroristas" em um campo militar do Hamas. Nenhuma vítima foi registrada. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional