PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump e China: O que se sabe sobre conta de presidente em banco chinês e alvo de piada no país asiático

Donald Trump, retratado aqui ao lado do presidente Xi Jinping, apresenta a China como uma ameaça aos EUA - Getty Images
Donald Trump, retratado aqui ao lado do presidente Xi Jinping, apresenta a China como uma ameaça aos EUA Imagem: Getty Images

22/10/2020 10h19

Embora durante anos a imprensa norte-americana questione Donald Trump por supostamente não pagar impostos, o jornal The New York Times (NYT) revelou ontem que entre 2013 e 2015 o atual presidente pagou US$ 188.561 (pouco mais de R$ 1 milhão) em impostos... na China.

Segundo o jornal, esses pagamentos estão relacionados a uma conta bancária que Trump possui no país asiático, onde durante anos ele teria tentado buscar oportunidades de negócios.

A conta é controlada pela empresa Trump International Hotels Management e suas contribuições para o tesouro chinês estão relacionadas ao pagamento de impostos locais.

Um porta-voz de Trump disse ao jornal que a conta foi criada para "explorar negócios potenciais no setor hoteleiro na Ásia".

Desde sua campanha eleitoral de 2016, a posição de Trump sobre a China vem gerando inúmeras polêmicas, incluindo suas críticas às empresas americanas que fazem negócios naquele país.

Em agosto, o presidente disse que queria oferecer incentivos fiscais para que as empresas americanas tirassem suas fábricas da China. Ele também ameaçou retirar os contratos do governo com as empresas que continuam a levar empregos para o gigante asiático.

O presidente chegou à Casa Branca acusando o gigante asiático de tirar vantagem comercial dos EUA e já fez diversos tipos de pressão, incluindo a chamada "guerra comercial", a imposição de barreiras para empresas chinesas como a Huawei operarem também nos EUA e as acusações contra Pequim por não ter controlado o novo coronavírus a tempo.

Durante a campanha presidencial para as eleições de 3 de novembro, Trump criticou muito o candidato do Partido Democrata, Joe Biden, que, segundo ele, seria muito brando com a China.

Ao mesmo tempo, ele fez acusações infundadas sobre supostos negócios de Hunter Biden, filho do candidato democrata, na China.

Nem nas declarações de impostos nem nas demonstrações financeiras divulgadas por Joe Biden há indícios de qualquer tipo de negociação com o país asiático.

A existência da conta de Trump na China foi revelada pelo The New York Times logo após publicar uma investigação sobre as declarações de impostos do presidente, que, segundo o jornal americano, pagou apenas US$ 750 em impostos federais entre 2016 e 2017, quando chegou à Casa Branca.

Um escritório 'inativo'

Alan Garten, advogado da Trump Organization, chamou a história do NYT de "pura especulação" e disse que fazia "suposições incorretas".

Garten disse ao jornal norte-americano que a Trump International Hotels Management "abriu uma conta em um banco chinês com escritórios nos EUA para pagar impostos locais".

"Nem acordos, nem transações, nem qualquer outro tipo de negócio se concretizaram e, desde 2015, o escritório está inativo", disse Garten.

"Embora a conta bancária permaneça aberta, ela nunca foi usada para nenhum outro propósito", acrescentou ao New York Times.

Trump tem vários negócios no exterior, incluindo campos de golfe na Escócia e na Irlanda e uma rede de hotéis cinco estrelas.

De acordo com o The New York Times, Trump tem contas bancárias na China, Reino Unido e Irlanda.

O jornal norte-americano deu detalhes de como Trump tem buscado fazer negócios no país asiático, especialmente desde 2012, quando abriu um escritório em Xangai.

Informações fiscais sobre o presidente publicadas pelo jornal mostram que o presidente investiu, ao longo de vários anos, pelo menos US$ 192 mil em cinco pequenas empresas criadas especificamente para buscar negócios na China.

Essas empresas relataram pelo menos $ 97,4 mil em despesas de trabalho desde 2010, incluindo alguns pequenos pagamentos de impostos e taxas de contabilidade até 2018.

No entanto, o principal agente dos planos de Trump na China tem sido a Trump International Hotels Management, por meio de propriedade direta da THC China Development, de acordo com o jornal.

Piadas chinesas sobre o 'camarada Trump'

Análise de Kerry Allen, BBC China

Os pagamentos de impostos de Donald Trump na China divertiram os usuários de mídia social por lá, que têm acompanhado de perto as notícias sobre seus assuntos fiscais.

Memes e comentários referentes ao "camarada Trump" foram compartilhados na popular rede social Sina Weibo (semelhante ao Twitter ocidental).

Em tom de brincadeira, usuários dizem que o presidente dos EUA está "pagando por sua filiação ao Partido (comunista)" e que "a pátria nunca esquecerá" suas contribuições.

Porém, há muitos descrentes sobre a possibilidade de ele ter pago centenas de milhares de dólares em impostos na China e muito pouco nos EUA.

"Ele pagou à China 250 vezes mais impostos do que pagou em seu horrível país", disse um usuário.

Outros mal conseguem acreditar que o presidente americano tenha embarcado em uma guerra comercial ao mesmo tempo em que perseguia seus próprios interesses pessoais na China.

Na imprensa chinesa, não foram publicados mais detalhes sobre a conta de banco revelada pelo New York Times.

Internacional