PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Eleição no Peru: por que mesmo com 100% dos votos apurados, disputa entre Pedro Castillo e Keiko Fujimori segue sem vencedor

O esquerdista Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos, enquanto sua rival, Keiko Fujimori, da direita, obteve 49,875%, segundo a autoridade eleitoral peruana - EPA
O esquerdista Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos, enquanto sua rival, Keiko Fujimori, da direita, obteve 49,875%, segundo a autoridade eleitoral peruana Imagem: EPA

16/06/2021 08h18Atualizada em 16/06/2021 15h08

Mais de uma semana após a celebração do segundo turno das eleições presidenciais no Peru, a contagem apertada de votos finalmente chegou a 100% ontem.

O candidato de esquerda Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos, enquanto a rival da direita, Keiko Fujimori, obteve 49,875%, de acordo com os resultados do ONPE (Escritório Nacional de Processos Eleitorais).

Castillo, do Peru Libre, venceu Fujimori, do Fuerza Popular, por 44.058 votos. Mas as autoridades eleitorais peruanas ainda não podem proclamar um vencedor.

Os pedidos de anulação dos registros de votação apresentados pelos dois partidos ainda não foram resolvidos. A maior parte dos pedidos foi feita pela Fuerza Popular, de Fujimori.

Na semana passada, Fujimori apresentou pedidos para anular 802 registros de votação, o que representa cerca de 200 mil votos.

No total, ela fez 945 solicitações, mas apenas 134 chegaram dentro do prazo permitido, segundo o portal peruano Ojo Público.

Já o Peru Libre apresentou 148 pedidos de anulação, mas apenas 14 chegaram a tempo, de acordo com o portal IDL-Reporteros.

Mais duas semanas?

Esses recursos de anulação são apresentados em júris eleitorais especiais distribuídos por todo o país, que têm três dias úteis para decidir se aceitam ou não.

Depois, o partido tem mais três dias para recorrer de qualquer decisão e, finalmente, o JNE (Júri Eleitoral Nacional) tem mais três dias para dar uma solução final ao recurso.

Esses pedidos de anulação podem atrasar a proclamação de um vencedor em cerca de duas semanas, explicou José Manuel Villalobos, diretor executivo do IPDE (Instituto Peruano de Direito Eleitoral), na semana passada à BBC Mundo.

'Momento de união'

Nesta terça-feira, horas depois de a contagem do ONPE chegar a 100%, Castillo dirigiu-se a seus seguidores de uma das varandas da sede do Peru Libre, no centro de Lima.

"Hoje é o momento da mais ampla unidade do povo peruano criar uma luta não só contra a pandemia, mas contra outras pandemias que ocorreram nestes 30 anos", disse ele a centenas de apoiadores.

"Esta noite não deve ser apenas de alegria e júbilo, mas também de grande responsabilidade. Não nos deixemos levar por ilusões, nem por fingimentos, temos que ser frios porque hoje começa a verdadeira batalha para acabar com as grandes desigualdades aqui em nossa pátria."

Castillo fez um apelo às autoridades eleitorais para que "respeitem a vontade popular".

Por sua vez, Fujimori se disse confiante de que as contestações que apresentou às autoridades eleitorais acabarão favorecendo sua candidatura.

"Hoje saiu um resultado, sim, resultado da apuração do ONPE, mas falta o mais importante, que é a avaliação dos atos pendentes que o JNE tem de pedido de anulação. Confiamos nos órgãos eleitorais e, acima de tudo, na vontade popular. Sabemos que quando eles analisarem essas irregularidades, muito provavelmente vão nos dar razão", disse a candidata em discurso que fez a seus seguidores em frente à sede da Fuerza Popular.

Fujimori encorajou seus apoiadores a seguirem mobilizados e se manifestando pacificamente.

Internacional