Saddam Hussein vira mártir para muitos palestinos

da BBC, em Londres

O ex-presidente Iraquiano Saddam Hussein sempre foi um dos aliados mais fiéis dos palestinos na luta contra Israel e parece ter conseguido manter até o fim uma grande popularidade entre a população palestina.

Com a execução de Saddam, aliados dele entre os palestinos se esforçam para apresentar o ex-presidente como um símbolo da luta árabe contra a invasão israelense e a influência Ocidental.

Na terça-feira dia 2 de janeiro a agência de noticias palestina Palestine News Network (PNS) disse que “estúdios de fotografia de Nablus (na Cisjordânia) relatam que dezenas de jovens vêm pedindo fotos de Saddam Hussein”.

"Líder do povo árabe"

Segundo a emissora, outras pessoas estariam encomendando “tradicionais bordados palestinos com a imagem de Saddam, como os que foram feitos quando morreram Yasser Arafat e (o fundador do Hamas) sheikh Ahmed Yassin”.

“Saddam não é apenas líder do Iraque. Ele é o líder de todo o povo árabe”, disse de Ramallah, na Cisjordânia, Ratib al-Imlah, membro do comitê central da Frente de Liberação Árabe (FLA) que era ligada – política, ideológica e financeiramente – ao regime de Saddam Hussein.

O grupo é integrante da Organização para a Liberação da Palestina (OLP) desde 1969, mas sempre foi mais ativo entre a comunidade palestina que vivia no Iraque do que nos próprios territórios ocupados.

Apoio financeiro

A frente tinha a importante função de trazer dinheiro iraquiano para os territórios palestinos e distribuí-lo para financiar atividades políticas e militares. Através da FLA, Saddam Hussein repassava, por exemplo, a ajuda financeira dada às famílias com integrantes mortos em ataques contra Israel.

“Saddam Hussein sempre fez tudo o que podia para nos auxiliar em nossa luta (contra Israel). Ele esteve em todos os nossos combates”, diz Al-Imlah.

“Saddam Hussein vai é um mártir do nacionalismo árabe e vai ser para outras gerações um símbolo da estatura de Gamal Abdel Nasser (ex-presidente do Egito e expoente do pan-arabismo).”

O comentarista político da cidade Gaza Talal Okal acredita que Saddam Hussein pode se tornar um símbolo de alguns grupos palestinos.

Mas Okal diz que no futuro Saddam vai ser “apenas uma página nos livros de história e não todo um capítulo, como Nasser”.

O analista diz que Saddam foi um líder importante no Iraque, mas não tem a dimensão de figuras históricas que moldaram as ideologias no Oriente Médio.

“Uma dos motivos é que Saddam também usou sua força contra os árabes, como na guerra do Kuwait. Um líder que também atacou países árabes nunca vai ter tanto peso simbólico como uma verdadeiro pan-Arabista”.

Islâmicos

Grupos militantes islâmicos também protestaram contra a execução de Saddam Hussein classificada de mais um ato de agressão contra os muçulmanos, patrocinado pelo Ocidente.

Mas parece pouco provável que os islâmicos incorporem Hussein como um símbolo de destaque já que o ex-presidente do Iraque era identificado com socialismo árabe-secular do partido Baath.

Em termos ideológicos e também práticos Saddam sempre esteve muito mais próximo do Fatah, de Yasser Arafat e do presidente palestino Mahmoud Abbas.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos