Ataque ao Irã seria 'um desastre', diz relatório

da BBC, em Londres

De acordo com um relatório divulgado nesta segunda-feira por um grupo de ONGs britânicas, um ataque militar contra o Irã por parte dos Estados Unidos teria conseqüências desastrosas.

O relatório, intitulado “Hora de Conversar”, feito por organizações como a Oxfam, a Pax Christi e o Conselho Muçulmano Britânico, faz um apelo para que haja um esforço internacional da comunidade internacional em direção de uma retomada da diplomacia para resolver os focos de tensão entre Teerã e o Ocidente.

Richard Dalton, ex-embaixador britânico no Irã, disse, no lançamento do relatório, estar ciente "das ameaças que o país representa", mas declara que "firmeza, paciência e diplomacia oferecem a melhor chance de uma negociação bem-sucedida".

"É vital que os Estados Unidos se envolvam em um processo de diplomacia criativa. Recorrer à ação militar que não seja em legítima defesa não só tem poucas chances de funcionar como também coloca o Irã, a região e possivelmente o mundo todo em risco", disse Dalton.

Rumores

Estados Unidos e Israel têm aumentado a pressão sobre o Irã nas últimas semanas, levantando rumores sobre um possível ataque militar ao país.

No final de semana, Washington enviou mais um porta-aviões para o Golfo Pérsico, numa medida que é interpretada como um alerta para o Irã.

O estudo das ONGs destaca o papel que a Grã-Bretanha deve ter na questão, usando a sua influência junto aos Estados Unidos para demover Washington da possibilidade do uso de força militar na região.

De acordo com o relatório, entre as conseqüências regionais de um ataque ao Irã estariam a ameaça às negociações de paz em países como Líbano e os territórios Palestinos e à estabilidade do Iraque. Uma eventual ação militar contra o Irã poderia ainda fortalecer a posição política dos radicais iranianos e causar a morte de "um número significativo" de civis.

Sob o ponto de vista global, o relatório aponta que a ação militar elevaria os preços do petróleo, impulsionando a pobreza em países em desenvolvimento, deixaria as economias americanas e européias mais vulneráveis à recessão, à ações terroristas e à degradação do meio-ambiente (decorrente de acidentes e atentados).

“Acho que os nossos líderes têm de levar em consideração os riscos que estão ligados a um ataque militar contra o Irã. A opinião de pessoas em Washington de que todas as possibilidades de negociação diplomática estão esgotadas são uma grande bobagem que precisa ser combatida”, disse Ali Ansari, diretor do Instituto de Estudos Iranianos da Universidade de St. Andrews, na Grã-Bretanha.

No último domingo, três ex-oficiais militares americanos enviaram uma carta ao jornal britânico The Sunday Times argumentando de forma similar ao relatório desta segunda-feira, dizendo que um ataque militar ao Irã seria “um desastre” para a região.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos