Hamas manda confiscar e destruir livro com 'alusões sexuais'

da BBC, em Londres

O ministério da Educação da Autoridade Palestina, controlado pelo grupo islâmico Hamas, mandou retirar e destruir todos os exemplares de uma coletânea de contos populares palestinos que incluiria "alusões sexuais".

De acordo com a imprensa palestina, mais de 1,5 mil exemplares do livro Fale, passarinho, fale (em tradução livre) já foram retirados das bibliotecas das escolas na Faixa de Gaza e na Cisjordania.

O livro, organizado por professores da Universidade de Bir Zeit, em Ramallah, contém 45 contos e lendas populares e, em alguns deles, haveria "menções a partes do corpo humano" que poderiam despertar "associações sexuais".

A coletânea, considerada uma obra importante para a preservação da herança cultural palestina, passada oralmente através das gerações, foi inicialmente publicada em inglês, em 1989, e em 2001 foi publicada em árabe.

Críticas

Um dos autores do livro, o escritor Sharif Kanana, acusou o Hamas de conduzir "terrorismo cultural".

Kanana disse ao jornal israelense Haaretz que os contos representam a herança cultural palestina e que o Hamas não pode confiscar os livros.

De acordo com o site de noticias Ynet, a ex-ministra da Educação palestina Hanan Ashrawi afirmou que a destruição dos livros é "escandalosa".

"Os assuntos ligados à cultura e às artes devem ser administrados por profissionais e não por funcionários com tendências ideológicas", disse Ashrawi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos